bueiro, me abrace forte!

domingo, 31 de julho de 2011

circle of fucking life


esse conjunto de transformações pelo qual passamos e não dá em nada

quarta-feira, 27 de julho de 2011

seja gentil com seus (ex) isqueiros

Eles retornam. Retornam como se estivessem no direito de reivindicar algo. Reivindicar a minha resposta. Querem me tirar do meu silêncio. E eu me canso, eu me canso porque não me sinto obrigada a dar o que me pedem. Eles querem impor suas vontades. Eu só desejo a distância. A distância sempre foi o modo mais seguro de dizer adeus. Eles se assustam com o meu espanto. Eu me sinto uma heroína por conseguir me manter sóbria por mais de sete dias. Mas eles não entendem. Eles nunca entendem nada. E aqui por dentro me corta a rua que nunca dorme. Ela me chama. Aqui por dentro a palavra certa infecciona. Minha fúria não transpõe o pensamento.

E como é que eu resisto?

terça-feira, 26 de julho de 2011

internet: usuários

Pensei em fazer um vídeo sobre o assunto, mas aí me lembrei que eu consigo ser pior falando do que escrevendo e, além disso, não entendo nada de edição. Então decidi que foda-se, porque é bem mais fácil tomar a decisão do foda-se.
foda-se
Estou na Internet há uns 11 anos (assim sendo, assisti o fim da era ICQ, vivi a golden age do bate-papo uol e fui militante da orkutização do orkut) e no decorrer desse tempo aprendi coisas muito úteis, tais como: emagrecer dormindo, aumentar o tamanho do meu pênis, utilizar as redes sociais para me auto-afirmar, amar o google incondicionalmente, dicas de maquiagem e etc além, é claro, de me tornar perita na arte do stalker. Com tantos anos de experiência hoje posso destacar os dois mundos virtuais que existem: o mundo virtual real e o mundo virtual que meus pais acreditam existir.
No mundo virtual real, podemos encontrar 3 (três) perfis de usuários:

usuário de dorgas
Usuário diboua: utiliza a Internet para se comunicar e pesquisar e acessar o redtube de maneira saudável porque né. Não há nada de errado com ele, ainda que, eventualmente, seu avatar nas redes sociais seja editado no paint e ele envie ppts aos milhares e isso me irrita pra caralho. 70% utilizam o Internet Explorer como navegador padrão e os mesmos alegam repassar correntes.

Usuário criminoso: pratica crimes virtuais, ué.

Usuário babaca: eis o balaio do gato, aqui estão todos os usuários que não se encaixam nos perfis já mencionados. 
nesse caso, a legenda torna-se dispensável
O elegante casal ao lado representa a maioria dos bacacas. Estes gozam de uma vida social agitada e nunca reclamam da vida (apenas das falsas amizades), pois Jesus faz parte de seus corações. Uma característica muito marcante desses usuários é que eles subestimam a norma culta, desvencilhando-se completamente da boa ortografia e da gramática, tornando-se grandes neologistas. Seus seus finais de semana são frequentemente marcados por whisky e red bull e, portanto, fazem questão de expor seus feitos nas redes sociais. São os líderes da orkutização do facebook.

rei da internet
Outro perfil muito comum são os jogadores de RPG on line, participantes de orkontros, que se auto-intitulam nerds e/ou otakus. São os desbravadores do ambiente virtual, compartilham suas proezas e/ou frustrações em fóruns on line, possuem vida social pouco ou nada ativa, suas maiores conquistas foram as esferas do dragão e alegam que se alimentam quase que exclusivamente de bacon.







pança conquistada pelos anos de sedentarismo de alto impacto
Por fim, um perfil de destaque é o babaca em sentido estrito, o qual é o que eu mais tenho autoridade para comentar, pois trata-se do meu. O usuário babaca pratica crimes de babaquices, bem como criar blogs com a intenção de mostrar aos outros o quanto sua vida pode ser medíocre; utiliza o twitter essencialmente para reclamar; investiga seus amores e/ou desafetos de maneira obsessiva recreativa; é emocionalmente instável e socialmente execrável por estar acima do peso. O computador é seu melhor amigo.


Encerrando essa inútil postagem, resta citar o único perfil de usuário do mundo virtual que meus pais acreditam existir: estupradores.
seu cu não será perdoado


sexta-feira, 22 de julho de 2011

mas nem com cerveja na augusta, cigarrinho e filme do woody allen eu tô me convencendo. nem com braço fechado de tatuagem, cabelo desgrenhado e barba por fazer eu tô me deixando levar. era para ser uma pergunta, mas a resposta é tão óbvia que machuca. enfim.

tá chovendo merda no meu coração. ou tá chovendo no meu coração de merda. whatever, essa ferida seca agora me encobre inteira e essa rua suja tá me fodendo devagar enquanto todos os outros correm ao mesmo tempo. meu propósito foi ficar para trás e engolir sua poeira. foi puxar sua fumaça sem reclamar.

me ame e me perca. me ignore e me vença. funciona.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

das dúvidas

por que ignoram meus pontos finais?

por que insistir num olá se o adeus já foi dito tantas vezes?

quando é que eu vou parar de me punir pelo erro dos outros?

posso pegar meu certificado sem participar da cerimônia de colação de grau?

sexta-feira, 15 de julho de 2011

das graças

- Engraçado... mas, às vezes, acabo pensando em você.

- E...?

- E nada. Isso que é o mais engraçado.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

mesmo com o nada feito, com a sala escura
com um nó no peito, com a cara dura
não tem mais jeito, a gente não tem cura

quarta-feira, 13 de julho de 2011

vocês que se resolvam

eu me tranco nessas três linhas
carrego uma coroa invisível de espinhos
e viro as costas sem oferecer a bunda

domingo, 10 de julho de 2011

when I'm gone

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Resgates e descartes

O que eu tenho feito é exercitar as (re)descobertas: quem eu fui, por onde estive, quem amei, quem deixei, quem me deixou. Destranco gavetas, abro caixas, manuseio tickets de cinema e teatro, acesso a lista de contatos do celular, me deparo com pequenos comentários no rodapé das páginas dos livros, discretas sinceridades e mentiras explícitas. Mas que ninguém se anime: nada passa impunimente à dor. Trata-se de um pedágio caro, afinal, não é permitido que se faça a qualquer momento uma viagem deste tipo. Necessita preparo, vontade e violência. Preparo para ajustar o foco, vontade para chegar ao final e violência para resgatar ou descartar o que for encontrado pelo caminho. Não há tempo para suavidades.