bueiro, me abrace forte!

sábado, 7 de maio de 2011

Você prefere não fazer nada

Assim olhando, de repente você se percebe tão quieto que tem vontade de fazer alguma coisa. Qualquer coisa dessas cotidianas, anônimas, acender um cigarro, ligar o rádio, quem sabe abrir a vidraça atrás da qual você está parado. Mas não faz nada. Você prefere não fazer nada. Permanece assim: parado, calado, quieto, sozinho. Na janela, olhando para fora.

(Caio Fernando Abreu. Verdade Interior, in: Pequenas Epifanias)

2 comentários:

Régis Eleutério disse...

isso eh comtemporaneo! = ]

Sanmella Pinho disse...

Esse é um dos melhores contos de Pequenas Epifanias! Lindo!