bueiro, me abrace forte!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Nessa fuga, eu me perdi de mim. Se tento olhar para trás, me confundo mais: as pegadas que deixei eram falsas. Forjei tantas pistas que não sei de onde vim. Cada frase proferida, foi proferida ao avesso. Há mentiras demais e eu não me entendo.

Um comentário:

Maria Rita disse...

Gosto de quem expressa o que a maioria esconde!

Beijos pra Ti