bueiro, me abrace forte!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

um quase nada já me tornava uma menina feliz

Ah, está se tornando difícil escrever. Porque sinto como ficarei de coração escuro ao constatar que, mesmo me agregando tão pouco à alegria, eu era de tal modo sedenta que um quase nada já me tornava uma menina feliz.
Clarice Lispector

Nenhum comentário: