bueiro, me abrace forte!

domingo, 31 de outubro de 2010

Sempre odiei os outubros

Crises de identidade e uma louca vontade de sumir.

sábado, 30 de outubro de 2010

- A pele não entende de sexo.

- E como você chegou a essa conclusão?

- Apagando a luz.

filme Coco avant Chanel 

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Estou me transformando aos poucos num ser humano meio viciado em solidão. E que só sabe escrever. Não sei mais falar, abraçar, dar beijos, dizer coisas aparentemente simples como “eu gosto de você”. Gosto de mim. Acho que é o destino dos escritores. E tenho pensado que, mais do que qualquer outra coisa, sou um escritor. Uma pessoa que escreve sobre a vida – como quem olha de uma janela – mas não consegue vivê-la.

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

um quase nada já me tornava uma menina feliz

Ah, está se tornando difícil escrever. Porque sinto como ficarei de coração escuro ao constatar que, mesmo me agregando tão pouco à alegria, eu era de tal modo sedenta que um quase nada já me tornava uma menina feliz.
Clarice Lispector

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A merda toda foi meu coração ter se fundido ao estômago...

sábado, 23 de outubro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Há tantas sextas-ferias

Há tantas sextas-feiras, tantos luminosos de neon, tantos rapazes solitários e gostosos perdidos nesta cidade suja...
|Caio Fernando Abreu|

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sobre as idas e vindas

Não há motivo para choro. Um dia você volta.

Você sempre volta.


E a gente volta.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Preciso parar com essa mania de inventar pessoas e acreditar nas minhas próprias mentiras.

sábado, 16 de outubro de 2010

O bueiro e as estatísticas

 Rússia, Coreia do Sul, China, Ucrânia e muita putaria forte pra galera.

sábado, 9 de outubro de 2010

É a ausência


o que eu mais trago.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Você se torna o meu assunto favorito
depois da décima garrafa.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010




Cerveja, cigarro e Cat Power.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Todo dia uma mensagem exagerada de amor me dá nos nervos. Não quero saber do seu amor. Não quero nem saber dos meus.

sábado, 2 de outubro de 2010

O que sempre me fascinou foi essa linha tênue que separa os sentimentos.

Da lembrança aguda e dolorida ao completo esquecimento. 



e eu já consigo ouvir a chuva de novembro...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010