bueiro, me abrace forte!

domingo, 5 de setembro de 2010

Não fui uma escolha: fui o que sobrou depois do nada.
|Lya Luft|

Nenhum comentário: