bueiro, me abrace forte!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Hoje eu acordei num susto, sonhei que brigava e agora me sinto mesmo dolorida. Sim, somos estranhos um para o outro. Mas sente-se no meu colo, derrame suas banalidades pegajosas, permita que eu conte sobre o Caio e aqueles dragões. Aproveite que estou lotada de humanidade e enrole-se nos meus cachos, vamos remover nossas ataduras com delicadeza. Estou todinha necessitada de qualquer coisa, inclusive da sua voz mansa e pausada que me atravessa feito flecha.

Olha, tanta ternura me devora até as vísceras!

... e eu te comeria numa boa.

2 comentários:

Pepo disse...

sua ternura não convence...

- sáminina. disse...

há algo escondido na ternura, sempre. mas quem sabe não seja amor hã? hahahaha vamos garota, abrace o bueiro! o amor é igual esgoto mesmo. rssss