bueiro, me abrace forte!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Aguente, ele me disse. Aguente só até amanhã, até o fim de semana. Aguente até o próximo mês e respire. Deixe o ar entrar, mas deixe que saia também. Suporte esse peso nas costas, esse medo de pulsar. Suporte principalmente os espaços vazios que te deixaram e não toque mais nesses machucados. Não tranque as palavras para não adoecer como você sempre adoece nos dezembros. Ainda que não sirvam para nada, liberte-as. Alimente sua úlcera com café, se isso for capaz de te acalmar. Ou que sua dor tenha outro nome, não importa. Mas aguente até amanhã e depois. Sem que precise de um motivo, sem que haja qualquer sentido.

Um comentário:

Anônimo disse...

Minha filha vai viver sua vida...
Ela é tão boa e provavelmente voce
nem vive mau ou passa necessidade
pra ser esse poço de depressão!

Vê se cresce ou vai estudar pra
passar no vestibular ou se formar...

Perda de tempo total!

Boa sorte pra vc na sua vidinha egocentrica.