bueiro, me abrace forte!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Me perdoe enquanto eu te vomito

Senti desabar sobre mim um peso morto: o peso dos suspiros prolongados, dos tremores incontroláveis, das frases suspensas e subjetivas, de tudo aquilo que se perdeu pelo caminho.
Meu estômago embrulhou.
Enjoei e vomitei.

Tínhamos um prazo de validade.
E ele já veio vencido.

Nenhum comentário: