bueiro, me abrace forte!

sábado, 8 de maio de 2010

Esquecer

Ah, mas tudo bem. Em seguida todo mundo se acostuma. As pessoas esquecem umas das outra com tanta facilidade. Como é mesmo que minha mãe dizia? Quem não é visto não é lembrado. Longe dos olhos, longe do coração. Pois é.' (Caio F.)

Será?

Esquecer é verbo transitivo e irregular, que significa "deixar sair da memória, perder a lembrança".

A memória é um registro que temos sobre nossas interações com o meio. Certas coisas são difíceis e, por que não dizer - no caso dos apaixonados de corações partidos, por exemplo -, impossíveis de esquecer. Há diferentes tipos de memória e suas devidas classificações em relação ao conteúdo: as de curta e longa duração. As memórias de longa duração são as que estão envolvidas de alguma forma com nossas emoções. Fatos que nos proporcionaram prazer, tristeza, alegria, etc. Quando armazenamos um desses fatos, nós o consolidamos. Tal processo deixa rastros bioquímicos e nossos neurônios sofrem algum tipo de alteração. Cada vez que evocamos uma lembrança, nós voltamos a estimular este sistema, tornando-a mais forte, pois nós a reconstruímos, revemos o filme.

Logo, toda vez que tentamos esquecer algo, primeiro, nós precisamos lembrar "de esquecer" e ao lembrarmos, resgatamos e reconstruímos a informação. Um círculo vicioso.

Agora, alguém, por favor, me ensine a te esquecer. Seguirei à risca o protocolo.

Nenhum comentário: