bueiro, me abrace forte!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Se pulsar demais acaba matando


O sonho já foi muito longe e eu não cheguei à tempo.
Essa minha fama de má só me gera bebidas goela abaixo e me faz rasurar dramas no diário. São apenas tolices na ponta do lápis riscando a folha pautada e aquela sensação que me desola, porque falta um pedaço, o mais importante, eu até me ousaria dizer. Trata-se daquele destroçado coração que está guardado dentro do armário para que assim eu possa atravessar os dias, sem que estes ultrapassem o limiar do suportável, porque quando se sabe, com pesar, que sua presença no peito é imensamente mais dolorosa que a ausência, é a única decisão possível que se consegue tomar.

Nenhum comentário: