bueiro, me abrace forte!

sexta-feira, 19 de março de 2010

O mesmo sabor


Desci a rua da frustração, dobrei a esquina da solidão, entrei num bar e pedi por obséquio um amor. Um amorzinho nem que fosse paraguaio, uma dose de paixão só para molhar a garganta.

- Só tem tristeza e ilusão.

- Desce primeiro a ilusão com açúcar e depois a tristeza, dose dupla. No final, o gosto fica igual...

Um comentário:

Alexandre disse...

Prefiro tomar uma cerveja na av. paulista.