bueiro, me abrace forte!

sábado, 27 de fevereiro de 2010

(Mais) um engano

Estava satisfeita com a casa assim vazia, havia uma garrafa cheia de café e ela decidiu enumerar as lembranças, mas sem distinguir se eram alegres ou tristes. Apenas quis enumerar aquelas que frequentemente a golpeavam dolorosamente nos olhos, em especial. Inúmeras vezes perdeu a conta. Depois perdeu a conta de quantas vezes tentou enumerar, mas fazia com toda paciência. Faltava muito para o dia acabar, e, sozinha, ela se permitia pensar nas coisas que amava, deixando os pensamentos correrem tão soltos até chegar no ponto das coisas que deixou de amar. Dedicou grande parte do tempo com isso: pensar naquilo que já não amava. Afundou o corpo no sofá com um meio sorriso, soltando com uma voz rouca sua conclusão final: talvez ele tenha sido apenas mais um... Permaneceu com essa quase certeza até que o telefone tocou e ela se descobriu ainda ansiosa por qualquer sinal dele.
Era engano.
E ela franziu a testa porque a quase certeza a enganara também.
Agora precisava de uma certeza completa para se levantar daquele sofá.

Nenhum comentário: