bueiro, me abrace forte!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Das vezes que o sol aparece

E nos deixa patéticos.

A verdade é que inevitavelmente sempre encontramos alguém que mexe conosco de um jeito tão bonito que fica até impossível de fugir.

Um abraço. Eu ainda pensei em desprendê-lo dos meus braços, pois tive medo de sufocar, mas assim que comecei a movimentá-los para me soltar percebi que os braços dele ainda estavam grudados em mim tanto quanto eu queria estar colada neles.
Que se há de fazer?
Permaneci ali.

Ah bueiro...  fazia tanto tempo que eu não sentia o coração de alguém pulsar perto de mim...

Nenhum comentário: