bueiro, me abrace forte!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Não, eu não saio do buraco mesmo.

"Anedonia", me disseram. Eu estou começando a achar comum. Tudo. Tudo mesmo. Digo isso de um jeito, que, se Jesus voltar, eu nem me surpreendo. Amor? Amor o quê? Não, não tem nada a ver com desamor também. Não sei exatamente com o quê tem a ver. Já virou nojo, entende? Nojo de mim, de você, deles. Nojo dessa merda toda que eu sou. Que somos. Que eles são. Mas que se foda, o ano está acabando e já desistiram de me salvar, eu acho. Todos cansados. Vou me entupir de Fenergan ou qualquer outra droga que me faça dormir. Café gelado e muito cigarro. Meus dentes já tão amarelos e eu não quero fazer clareamento ou qualquer porra dessas. Meu dentista me perguntou se havia alguma chance de eu estar grávida, eu tive vontade de rir. Fazia tanto tempo que isso não acontecia (rir). Mas eu não ri. Falei muito séria com ele. Não tinha a menor possibilidade de eu estar grávida. Nem por milagre. Até pensei em me ajoelhar diante dele e jurar pelo nome da minha mãe. Mas depois ele me veio com outras perguntas e eu deixei pra lá a ideia de me ajoelhar. Quem me conhece sabe que eu adoro um exagero. Gosto de falar coisas como carne, sangue, vômito, caralho. Mas eu estava aqui falando da volta de Cristo, não estava? Não, não! Era outra coisa. Anedonia, certo? Bom, foi isso o que me disseram. Tem pré-diposição genética? Deve ter, né?! Porque depressão tem sim, eu sei.

Ahhhhhhhhhhhh

Sabe de uma coisa?

Não adianta botar perfume na merda.

Nenhum comentário: