bueiro, me abrace forte!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

"Eu ainda te quero bem"

É verdade, mas nem sempre. Principalmente quando você me dói. Bem na hora que eu acordo e já sinto aquelas pontadas nas têmporas. Mas nada que uma garrafa de café, vodka e cigarros não possam resolver. Minha úlcera tem seu nome. E eu não sou feliz comigo. Acontece que o tempo não tem sido eficaz e eu não te esqueço. E chega a doer. Dor física mesmo. Mas também não choro e, nos últimos dias, parei de me mutilar. Era como se, ao arrancar um pedaço de mim, eu pudesse me desfazer de você. Só que eu não me desfaço. Então eu continuo procurando qualquer coisa que pareça abrigo, até as coisas tortas e podres. Eu, inevitavelmente humana e estúpida, sabendo que tudo vai desabar bem na minha cabeça.

E eu vou esperar.

Sem desespero. Porque eu ainda te quero bem. E eu vou suportar.
Amém.



Nenhum comentário: