bueiro, me abrace forte!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009


Eu tenho infinitos diálogos imaginários com você. Bebo um copo de cerveja e sirvo a sua coca-cola com gelo e limão enquanto mordo meus lábios sentindo você se dissolver entre meus dedos.

Se eu pichasse nos muros da cidade meus devaneios, bem nos muros que fazem o caminho para o seu trabalho, você notaria?

Gostaria de poder dizer qualquer bobagem, qualquer coisa brega que prendesse sua atenção. Qualquer tolice pra você voltar.

Não posso.

Meu maldito orgulho, mais uma vez.

Mas eu queria muito dizer.

E queria muito que você soubesse que eu queria.

Nenhum comentário: