bueiro, me abrace forte!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Espero que você encontre esta carta. Por isso mesmo a deixei junto com sua caixa de froot loops em cima da mesa. Pois é, campeão, Curitiba me deu no saco e estou caindo fora. Larguei o curso de jornalismo. Vou pra Rússia, já que lá o teor etílico permitido das bebidas me atrai muito mais. Vendi o microondas, a máquina de lavar e a torradeira pra vizinha do 74, pobre coitada. Mas eu precisava de um pouco mais de grana e esse foi o jeito de conseguir. Hoje pela manhã aquele seu amigo baterista veio aqui atrás de notícias suas e eu contei que você morreu. De overdose. Te encontraram no meio da rua. Agora você está no IML como indigente faz uns três dias, porque eu tive vergonha de reclamar o corpo. Quero mais é que ele vá lá te procurar. Admito que chorei acreditando no que eu mesma estava contando. Sempre fui mitomaníaca, mas acho que agora passei dos limites.

Bum! Mentira de novo!

Olha só, estou de partida e dessa vez é pra sempre. Tua mãe me irrita horrores e é uma vagabunda de marca maior, só aparece aqui pra me pedir dinheiro e você sabe. Xinguei muito essa biscate no telefone hoje.

Deixo meu computador para você, sem essa merda tu não vive mesmo. Além disso, quem sabe assim você me perdoe por ter estourado novamente as cordas da guitarra. Levo comigo os livros de filosofia, os discos da Enya e o álbum de fotos. Não preciso de muitas coisas para onde eu vou.


Esta não é uma carta de despedida. Apenas de esclarecimento.

Aguarde meus postais.


ps: Borzoi morreu ontem a noite e isso é verdade. Não quis te ligar, não quis te preocupar nem nada. Sei do quanto você gostava daquele peixe. Dei descarga -rest in peace.

Nenhum comentário: