bueiro, me abrace forte!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Mas nós somos como as lagartixas que perdem o rabo: logo um rabo novo cresce no lugar do velho. Assim é com a gente: logo a vida volta à normalidade e estamos prontos a amar de novo.
A saudade doída passa a ser só uma dorzinha gostosa.

Rubem Alves in “O AMOR QUE ACENDE A LUA
– O Cemitério”

Nenhum comentário: