bueiro, me abrace forte!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

E ela assiste, calada. Assiste a tudo, ela tenta mover os lábios, pronunciar alguma palavra, um som, um grunhido que seja. Mas nada. Nada. É a ausência dele. É a ansiedade dela. É ela.


- no espelho eu vi, era ela de novo.
ela é o nó que não ata.

Nenhum comentário: