bueiro, me abrace forte!

sábado, 27 de setembro de 2008

e se questionava se ele, bem ali do seu lado, sentia o mesmo que ela. E se desesperava nos próprios pensamentos. E baixava a cabeça, tentando esconder a aflição. E mordia os lábios e fechava os olhos com força, porque se sentia culpada demais por imaginar tantas coisas em tão pouco tempo... E se perguntava até quando poderia suportar aquela situação. E se perguntando e perguntando não chegou à conclusão alguma. Estalou os dedos, bateus os pé no chão e mexeu nos cabelos. Suspirou, mas sem alívio. Então engoliu o choro e sorriu.

- porque o tempo é curto. e o amor é muito. e ela é lenta. e ele não se toca.

Nenhum comentário: