bueiro, me abrace forte!

domingo, 10 de agosto de 2008

"Os sentimentos que mais doem, as emoções que mais pungem, são os que são absurdos - a ânsia de coisas impossíveis, precisamente porque são impossíveis, a saudade do que nunca houve, o desejo do que poderia ter sido, a mágoa de não ser outro, a insatisfação da existência do mundo." (Fernando Pessoa)

Sentir demais acaba me deixando dolorida, desgostosa, um pouco mais vazia. Sentir demais... Eu assisto minha própria sombra perambulando em busca de uma alma, ou talvez seja a minha alma procurando por uma sombra. Eu sei lá pra quê tudo isso! É coisa impossível de descobrir. Prefiro abstrair. É como se eu tentasse deixar tudo flutuando, suspenso, em stand by. E desejar o que não posso e querer o que não quero ter de fato. São esses detalhes que me enlouquecem, como naquele dia que eu descobri uns boatos insanos sobre mim, mas não quis negar nem afimar nada. São essas coisas que eu deixo sem explicação... Pelo meu cansaço. Porque cansa, sabe?!

- Então ele se despediu, me beijou e disse que foi um prazer ter me conhecido.
Daí eu fiquei com aquela cara de besta!

Nenhum comentário: